Terceirizados da Sesap iniciam greve

Publicado em: 15/09/2021

O SIPERN, sindicato que representa grande parte dos trabalhadores das empresas JMT, SAFE e Petrogas contratados pela SESAP/RN para terceirização de serviços de apoio nos hospitais do Estado do RN, em apoio aos Profissionais de Enfermagem, técnicos, duchistas, massagistas e empregados em hospitais, Casas de Saúde , informa à sociedade Potiguar, que em razão do atraso no pagamento dos salários do mês de agosto, vale transporte e vale alimentação, os trabalhadores das empresas prestadoras de serviços de mão de obra, deflagraram GREVE por tempo indeterminado.

“Neste momento estão paralisados os serviços terceirizados nas unidades de saúde Estado do RN, na área metropolitana da Grande Natal (Parnamirim, Macaíba, Natal – Complexo Hospitalar Monsenhor Walfredo Gurgel, Hospital Giselda Trigueiro etc)”, diz a nota.

Segundo o Sipern,  os trabalhadores da categoria são vitimas de constantes atrasos de salários. Diante dessa situação, e dos atrasos reiterados, a classe dos trabalhadores, junto com o sindicato, se viu obrigada novamente a convocar e deflagrar GREVE até a regularização e pagamento das verbas em atraso.

“Informamos ainda que os envolvidos (empresas, SESAP/RN e SEPLAN/RN) estavam tentando negociação na Superintendência regional do Trabalho e Emprego do SRTE/RN, com a mediação do Dr. Cláudio Gabriel. Contudo, O governo do Estado do RN, através da SEPLAN/RN, TEM IGNORADO AS CHAMADAS PARA A MESA DE NEGOCIAÇÃO, demostrando DESPREZO”, diz trecho da nota.

Para os trabalhadores terceirizados, e a sociedade Potiguar, o sindicato informa que serão mantidas escalas mínimas de trabalhadores para que sejam mantidos os serviços essenciais, minimizando o máximo possível os impactos à população Potiguar. Ainda que tão logo sejam pagas as verbas salariais em atraso, a greve será encerrada.

“Os trabalhadores estão em greve pelo mais básico dos seus direitos, o pagamento pelo trabalho prestado. Sendo este sua única fonte de renda para o sustento de sua família”, encerra a nota, assinada por Domingos da Silva Ferreira, Diretor Presidente do SIPERN.

 

 




Faça o seu comentário