Especialistas criticam decisão de SP e RJ de aplicar CoronaVac na 3ª dose

Publicado em: 05/09/2021

Quando decidiu, em 25 de agosto, iniciar a aplicação da 3ª dose em idosos e imunossuprimidos, o Ministério de Saúde indicou que ela seria feita usando preferencialmente os imunizantes da Pfizer e da Astrazeneca. As informações são do Poder 360.

O diretor do laboratório Butantan, que produz a Coronavac, criticou a decisão na 4ª feira (1. set.2021). Afirmou que “estamos tratando aqui de questões técnicas, científicas e essas apontam que a terceira dose com a Coronavac aumenta enormemente a resposta imune. Do outro lado, temos um posicionamento que é até mais política do Ministério da Saúde quando descredencia (…) essa vacina como terceira dose”, afirmou Dimas Covas.

O Poder360 consultou 5 médicos especializados em infectologia/imunologia. Todos afirmam que a orientação do governo federal é correta. E que o ideal é que a aplicação seja feita preferencialmente com Pfizer ou Astrazeneca, o contrário do que foi decidido pelo governo de São Paulo e do Rio de Janeiro.

 




Faça o seu comentário