Após conclusão da quarta parcela, gasto com auxílio emergencial chega a R$ 34,7 bilhões em 2021

Publicado em: 31/07/2021

                                           Foto: Marcos Rocha/ FDR

 

O gasto do governo federal com o pagamento da nova rodada do auxílio emergencial atingiu R$ 34,7 bilhões, com o depósito da quarta parcela finalizado nesta semana. O valor equivale a 79% do orçamento de R$ 44 bilhões previstos para os quatro meses iniciais. Mas o benefício foi prorrogado com mais três parcelas até outubro, com os mesmos valores. O calendário dos novos pagamentos ainda não foi divulgado.

Nesta etapa, foram beneficiadas 36,1 milhões de pessoas, sendo 26,7 milhões inscritos pelo CadÚnico e aplicativo da Caixa, e 9,4 milhões do Bolsa Família. O total de repasse com a quarta parcela foi de R$ 8,4 bilhões para os dois grupos, com valor médio de R$ 305,97, no caso do Bolsa Família.

O pagamento médio segue em R$ 250, com exceção às mulheres chefes de família, que recebem R$ 375, e as pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

“Concluímos mais uma etapa do auxílio emergencial 2021 com a convicção de que o trabalho realizado permitiu a milhões de famílias um reforço no orçamento para superar as dificuldades impostas pela pandemia. Vamos seguir com o mesmo empenho e eficiência para que as três parcelas da prorrogação do benefício continuem chegando a quem mais precisa”, destacou o ministro da Cidadania, João Roma.

Calendário

Assim como o depósito, a liberação do saque da quarta parcela foi adiantada. Originalmente, os trabalhadores nascidos em janeiro poderiam sacar a quarta parcela a partir do dia 13 de agosto. Agora, eles terão essa possibilidade nesta segunda-feira (2). O cronograma de saques vai até 18 de agosto para os aniversariantes de dezembro, uma antecipação de 22 dias.

O modelo de escalonamento das transferências e saques, adotado no ano passado, segue sendo executado em 2021, com o objetivo de evitar filas e aglomerações nas agências da Caixa Econômica Federal e nas lotéricas.

Prorrogação

Com a prorrogação do auxílio emergencial até outubro, a expectativa do governo federal é ganhar tempo para o avanço da vacinação contra a covid-19, além de preparar uma ampliação do programa Bolsa Família, com pagamentos no valor de R$ 300.

A prorrogação vai abrir mais espaço no Orçamento de 2021 para o lançamento da nova política social permanente, que vai suceder o Bolsa Família. O desenho do substituto do Bolsa Família precisa ser implementado até dezembro de 2021, porque a lei veda a adoção desse tipo de medida em ano de eleições.

Mesmo assim, o governo afirma que o benefício concedido aos trabalhadores informais e população de baixa renda devido à de covid-19 pode ser renovado caso a pandemia persista.

Datas para saque da 4ª parcela

2 de agosto (segunda-feira) – nascidos em janeiro

3 de agosto (terça-feira) – nascidos em fevereiro

4 de agosto (quarta-feira) – nascidos em março

5 de agosto (quinta-feira) – nascidos em abril

9 de agosto (segunda-feira) – nascidos em maio

10 de agosto (terça-feira) – nascidos em junho

11 de agosto (quarta-feira) – nascidos em julho

12 de agosto (quinta-feira) – nascidos em agosto

13 de agosto (sexta-feira) – nascidos em setembro

16 de agosto (segunda-feira) – nascidos em outubro

17 de agosto (terça-feira) – nascidos em novembro

18 de agosto (quarta-feira) – nascidos em dezembro

 

R7

 




Faça o seu comentário