Fórum Estadual dos Servidores exige data de reunião com Fátima

Publicado em: 22/01/2021

Fátima Bezerra, do PT, é eleita governadora do RN | Jornal Nacional | G1

O Fórum Estadual dos Servidores protocolou um ofício junto ao governo do Estado para cobrar a data da audiência prometida pela governadora para tratar do calendário de pagamento das folhas salariais em atrasado, conforme Fátima Bezerra anunciou na última reunião que teve com os representantes sindicais, de maneira remota, no dia 13 deste mês. Desta forma, o Fórum aguarda o convite para se reunir com a governadora, Gabinete Civil e secretários da área econômica do governo para debater a continuidade do pagamento dos salários atrasados dos servidores públicos do Estado do Rio Grande do Norte.

Fórum dos Servidores vai à governadora

Diante da proximidade do fim do prazo prometido pela governadora, e a urgência para resolução das folhas em atraso pelo Estado, o Fórum Estadual dos Servidores irá exigir a audiência pessoalmente no Gabinete Civil, no próximo dia 26 de janeiro, caso o retorno com a data da reunião não aconteça até a segunda-feira, dia 25.

 

Faça o seu comentário

18 MILHÕES DE ACESSOS

Governo do RN prevê 15 novos concursos públicos até 2023

Publicado em: 22/01/2021

Governo prevê 15 novos concursos públicos até 2023 no Rio Grande do Norte -  Gláucia Lima

O Rio Grande do Norte deve ter 15 novos concursos públicos até 2023. O número de seleções públicas previsto para os próximos três anos foi definido na revisão anual do Plano Plurianual (PPA) do Estado.

Segundo a lei que definiu as regras do PPA, publicada nesta quinta-feira 21 no Diário Oficial do Estado, o governo estadual alterou a meta prevista para o período. Antes da revisão do documento, havia a perspectiva de 13 concursos, mas o número foi ampliado para 15.

Os estudos sobre os concursos serão feitos pela Secretaria de Estado da Administração (Searh).

O Plano Plurianual é o documento que define as prioridades do governo para o período de quatro anos, podendo ser revisado a cada ano. O documento traça as políticas públicas para alcançar os resultados esperados ao bem-estar da população nas diversas áreas.

O planejamento governamental é uma atividade permanente da administração pública, além de se constituir em função essencial de Estado. O PPA potiguar, com as ações previstas entre 2020 e 2023, começou a ser discutido em 2019.

 

Agora RN

 

Faça o seu comentário

COR E PISO

Bolsonaro vai à Bahia, anda a cavalo e é aclamado pelo povo

Publicado em: 22/01/2021

Bolsonaro vai à Bahia, anda a cavalo e é aclamado pelo povo | Brasil |  Pleno.News                                             Foto: Reprodução

 

O presidente Jair Bolsonaro viajou, nesta quinta-feira (21), para Coribe, na Bahia, onde participou da cerimônia de entrega de parte do lote 4 de obras de adequação da rodovia BR-135. Após a cerimônia, o presidente andou a cavalo e foi exaltado pelo povo.

Durante a cerimônia, o presidente fez um discurso e elogiou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

“No momento também, eu não podia deixar de falar. Tem alguns ministros comigo, mas hoje, a figura mais importante é do Tarcísio (…) Tarcísio de Freitas, que fez o IME [Instituto Militar de Engenharia], depois fez concurso para a Câmara, ficou três anos lá, e depois quis o destino que ele aceitasse trabalhar conosco. Dizer a vocês, do patriotismo desse capitão. Da competência desse engenheiro. E da maneira como ele encara os desafios. Nós, e eu em particular, agradeço e muito por ele existir e por estar ao nosso lado em qualquer lugar do Brasil”, apontou.

Bolsonaro vai à Bahia, anda a cavalo e é aclamado pelo povo | Brasil |  Pleno.News                                             Foto: Reprodução

 

Faça o seu comentário

Grupo Araújo

Com Orçamento apertado, governo vai pagar R$ 500 milhões em progressões de servidores em 2021

Publicado em: 22/01/2021

Enquanto busca recursos para bancar programas sociais e o enfrentamento à pandemia, o governo já reservou uma conta adicional de R$ 500 milhões em 2021 para o pagamento de progressões de carreira de servidores públicos. A maior parte tem caráter automático e é concedida sem qualquer avaliação de desempenho ou mérito.

Neste ano, serão aproximadamente 170 mil beneficiados. Isso significa que 1 a cada 4 servidores do Executivo federal receberá algum tipo de promoção ou progressão de carreira.

O número mostra apenas uma fatia do custo total aos cofres públicos, já que as progressões também são comuns nos Poderes Judiciário e Legislativo, bem como nos estados e nos municípios. O custo, portanto, é mais elevado se forem considerados o avanço na carreira para os demais Poderes e entes da federação.

O Ministério da Economia tenta impedir esses aumentos salariais quase que automáticos para novos servidores. Porém, a proposta que trata do assunto não deu sinal de avanço no Congresso.

A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma administrativa foi enviada pelo governo à Câmara em setembro do ano passado, mas segue sem previsão de análise. O texto proíbe progressões automáticas de carreira, como as gratificações por tempo de serviço. A norma valerá apenas para novos servidores, preservando todos aqueles que estiverem na ativa no momento da aprovação da medida.

Além disso, na segunda fase da reforma, o governo pretende regulamentar a avaliação de desempenho. O objetivo é estabelecer regras e critérios de análise de mérito para que os servidores sejam promovidos.

Desde o início da gestão Jair Bolsonaro (sem partido), o ministro Paulo Guedes (Economia) adotou uma política de enxugamento da máquina pública. Mesmo sem aprovação de reforma, o governo derrubou as taxas de reposição de servidores que se aposentam. Ou seja, são convocados menos servidores do que aqueles que entram em inatividade.

Em 2020, para cada 100 pessoas que deixaram a ativa no serviço público federal, o governo contratou apenas 26. O índice é o menor dos últimos anos.

Com o enxugamento, o quadro de servidores federais retraiu para o menor patamar em anos. Pela primeira vez desde 2012, o número de profissionais ativos ficou abaixo de 600 mil —está agora em 599,8 mil.

Em uma vitória de Guedes, o governo também conseguiu congelar o salário de servidores da União, estados e municípios até o fim deste ano. A medida foi incluída no pacote de ajuda aos estados durante a pandemia.

Diante da crise causada pela pandemia da Covid-19, que reduziu a renda de milhões de trabalhadores da iniciativa privada —e deixou cerca de 5 milhões desempregados entre abril e outubro, segundo o IBGE— Guedes propôs ao Congresso que os salários dos servidores públicos federais, estaduais e municipais fossem congelados, assim como as progressões e promoções nas carreiras.

Por pressão política, o Congresso deixou a brecha para que a ascensão nas carreiras ainda fosse permitida. O lobby do funcionalismo é um dos mais fortes entre deputados e senadores.

Apesar dos salários congelados, as progressões automáticas continuam a ser concedidas normalmente. O Ministério da Economia argumenta que os benefícios estão previstos em leis específicas e não podem ser eliminados.

 

Leia matéria completa na  Folha.

 

Faça o seu comentário

JP Gás - João Câmara

Desembargador é condenado a pagar indenização por ofender guarda

Publicado em: 22/01/2021

O desembargador Eduardo Siqueira foi condenado nessa 5ª feira (21.jan.2021) a pagar R$ 20.000 de indenização por danos morais ao guarda municipal Cícero Hilario Roza Neto. Siqueira chamou o funcionário de “analfabeto” depois de ser advertido sobre o uso da máscara de proteção contra o coronavírus em julho de 2020, em Santos (SP). O desembargador recusou a orientação. Disse que o decreto sobre a utilização do acessório “não é lei” e que, por isso, não obedeceria (veja o vídeo abaixo).

Depois do episódio, o desembargador foi afastado das funções pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

O juiz José Alonso Beltrame Júnior, da 10ª Vara Cível de São Paulo, argumentou que não existe “controvérsia sobre as práticas ofensivas”.

“Não houve mero exercício regular do direito por parte do requerido, pois não se limitou a questionar a legalidade da autuação. Foram superados os limites do razoável quando o requerente foi tratado como analfabeto, menosprezando-se sua pessoa e função em diversos momentos.”

“A série de posturas teve potencial para humilhar e menosprezar o guarda municipal que atuava no exercício da delicada função de cobrar da população posturas tendentes a minimizar os efeitos da grave pandemia, que a todos afeta”, escreveu o juiz.

“Não é preciso esforço para compreender os sentimentos de humilhação e menosprezo vivenciados pelo requerente.”

Siqueira ainda é alvo de inquérito que apura se ele cometeu abuso de autoridade. A investigação, no entanto, foi suspensa pelo ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Gilmar considerou plausível a argumentação de que a decisão do STJ (Supremo Tribunal de Justiça), ao determinar a abertura de inquérito, teria violado os princípios constitucionais da ampla defesa e do contraditório.

 

PODER360

 

Faça o seu comentário

DRONE DO MONTORIL

Anvisa vota 2º pedido emergencial da CoronaVac nesta 6ª feira

Publicado em: 22/01/2021

A diretoria da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) realizará nesta 6ª feira (23.jan.2021) reunião extraordinária para avaliar o 2º pedido de uso emergencial da vacina CoronaVac feito pelo Instituto Butantan. A reunião está marcada para as 15h. A previsão é de que a votação dure até duas horas.

O 2º pedido foi submetido à agência na última 2ª feira (18.jan.2021). Segundo a Anvisa, inicialmente a documentação tinha 206 páginas, mas foi complementada às 20h49 do mesmo dia com mais 727 páginas.

O imunizante desenvolvido pelo Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac já recebeu o aval da agência no domingo (17.jan), mas apenas para as doses importadas.

Esse 2º pedido se refere às doses produzidas no Brasil e envasadas no próprio Instituto Butantan, e em uma embalagem diferente, o frasco-ampola multidose.

O objetivo da nova solicitação é “avaliar as informações adicionais” submetidas. Para produtos sensíveis, como vacinas, mesmo pequenas mudanças de equipamento, método e forma de envase podem causar impacto e, portanto, devem ser olhadas com atenção.

Se aprovado o novo pedido, 4,8 milhões de doses poderão ser distribuídas aos Estados e ao Distrito Federal imediatamente. O montante soma-se às outras 6 milhões já enviadas no início desta semana.

 

PODER360

 

Faça o seu comentário

Farmácia Popular

52% dos que receberam auxílio emergencial aprovam governo, diz PoderData

Publicado em: 22/01/2021

Pesquisa PoderData realizada de 18 a 20 de janeiro mostra que 52% dos beneficiários do auxílio emergencial aprovam o governo federal. O número é 7 pontos percentuais maior que a taxa geral de aprovação (45%). A proporção dos que desaprovam entre os que receberam o coronavoucher é de 42%, 6 p.p. menor que a desaprovação geral (48%).

O auxílio emergencial acabou em dezembro de 2020. O Poder360 noticiou, em 7 de outubro, que o governo federal estava estudando prorrogar o benefício por mais 3 meses, até março de 2021. A ideia é gestada pela equipe econômica. Ainda não está definido qual será o valor caso a alternativa seja encampada pelo governo. As parcelas iniciais do coronavoucher eram de R$ 600. As que foram pagas no final de 2020 foram de R$ 300.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes. Foram 2.500 entrevistas em 544 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

AUXÍLIO X BOLSONARO

A proporção dos que aprovam o trabalho do presidente é maior entre os que receberam o coronavoucher (41%).

A pesquisa PoderData indagou os brasileiros que receberam o auxílio do governo. Foram 58% os que receberam ou têm parentes contemplados pelo suporte financeiro pago pelo governo federal, de R$ 600 eou R$ 300.

AUXÍLIO X GOVERNO

Entre os que receberam o repasse financeiro da administração federal, 52% aprovam o governo. Entre os que afirmaram não ter recebido o aporte, a desaprovação é de 58%.

 

PODER360

 

Faça o seu comentário

Adriano Móveis

Oxford dirá a voluntários no Brasil quem foi imunizado e vacinará quem recebeu placebo

Publicado em: 22/01/2021

Os pesquisadores da vacina de Oxford/AstraZeneca vão fazer a “quebra do cego”, revelando a todos os voluntários do estudo, no Brasil, quem recebeu o imunizante ou placebo. De acordo com o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, a quebra do cego seria feita até 10 dias depois da vacina ser autorizada, o que ocorreu no domingo (17), e os voluntários foram contatados para agendar apresentação a partir de segunda (25), quando saberão se já estão imunizados e o grupo de controle será vacinado. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Os contatos começaram no dia seguinte à autorização da Anvisa. “É o fim da dúvida e a garantia de estar imune”, disse um dos voluntários. Ao receberem a ligação, os pesquisadores pediram aos voluntários que levassem consigo o cartão de vacinação para registro da imunização.

Vale lembrar que o placebo do estudo é a vacina MenACWY. Protege de meningite e sepse causada por meningococo dos grupos A, C, W e Y.

O procedimento é padrão e similar ao adotado pelos pesquisadores da Pfizer/BionTech, que já começaram a vacinar quem recebeu placebo.

 

DIÁRIO DO PODER

 

Faça o seu comentário

18 MILHÕES DE ACESSOS

Primeira leva da vacina deve acabar até o dia 31 na maioria das capitais

Publicado em: 22/01/2021

A primeira remessa de vacinas distribuída no país deve acabar até o fim da próxima semana na maioria das capitais. Os imunizantes chegaram aos estados entre segunda (18) e terça-feira (19), depois de um atraso na logística do Ministério da Saúde. Ao menos 17 das 27 cidades (incluindo o Distrito Federal) planejam terminar de aplicar a primeira dose nos grupos prioritários até 31 de janeiro, segundo levantamento feito pela Folha com as prefeituras, que são as responsáveis pela vacinação. Só Goiânia e Recife estimam um tempo maior, de três semanas, e o restante não tem previsão.

Quatro desses municípios já estão usando todas as vacinas disponíveis e, portanto, dependem da chegada de mais frascos para ministrar a segunda dose daqui a duas a três semanas. Integram esse grupo São Paulo, Boa Vista, Rio Branco e Goiânia.

As capitais somam 1,4 milhões de unidades da Coronavac recebidas, de um total de 6 milhões importadas e distribuídas nesta semana. Considerando que as próximas levas de imunizantes que o Brasil planeja disponibilizar têm quantidade parecida, eles também não devem durar muito.

O país deve conseguir mais 6,8 milhões de doses no total a curto prazo. Isso inclui 2 milhões da vacina de Oxford/AstraZeneca, que devem chegar nesta sexta (22) após a Índia finalmente dar sinal verde à exportação, e outras 4,8 milhões da Coronavac, que já foram envasadas pelo Instituto Butantan e aguardam autorização emergencial da Anvisa.

A agência afirmou que deve responder à solicitação já nesta sexta, apesar de o prazo expirar na próxima quinta (28). Se aprovadas, as vacinas já podem ser imediatamente encaminhadas ao governo federal para serem enviadas aos estados. Depois disso, o Brasil só terá mais doses quando a China permitir o envio dos insumos necessários para que o Butantan e a Fiocruz processem os dois imunizantes. A fundação no Rio de Janeiro estima que conseguirá entregar as primeiras remessas apenas em março.

Diante da escassez de vacinas, todas as capitais têm seguido a orientação de priorizar os profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra a Covid-19 e os idosos que vivem em instituições de longa permanência, de maneira geral. Seis das cidades incluem indígenas nessa lista.

Os municípios que preveem encerrar a aplicação da primeira dose mais cedo, já nesta sexta, são Belo Horizonte, Natal e Vitória. Entre eles, a capital mineira foi a que recebeu mais unidades: 128 mil, das quais metade foi reservada para ser distribuída daqui a até três semanas.

Vitória diz que precisaria de mais de 20 mil vacinas para contemplar todo esse público prioritário da primeira fase, quase cinco vezes mais do que as 4.769 pessoas que vai poder imunizar até agora. Porto Alegre é outra que ressalta que as 103 mil doses entregues são insuficientes para as 165 mil pessoas que queria vacinar na primeira fase.

Manaus, que vive uma crise de falta de leitos e de oxigênio, chegou a suspender a imunização nesta quinta (20) para reformular sua logística. Foi uma recomendação de órgãos de controle, após a prefeitura priorizar médicos recém-formados que atendem casos leves frente a servidores idosos e com comorbidades que atendem casos graves.

No Rio de Janeiro, o Conselho Regional de Enfermagem do estado também reclama que a categoria “está sendo preterida” e que se reunirá com as autoridades municipais e estaduais para cobrar a vacinação. A cidade pretende terminar de ministrar a primeira dose no sábado (23).

Por enquanto, a capital fluminense optou por guardar metade das 230 mil unidades que recebeu, mas o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, afirmou que espera uma posição do Butantan, do Ministério da Saúde e da Anvisa para saber se já pode usá-las para vacinar o dobro de pessoas.

“Essa é uma discussão científica que está acontecendo. A gente não tem estudo suficiente para dizer se uma única dose pode sustentar a imunidade por mais tempo. Mas a discussão hoje no Ministério da Saúde e nos meios acadêmicos é que seria melhor aplicar a primeira dose no maior número de pessoas e esperar a segunda dose”, disse ao “Bom Dia Rio”, da TV Globo.

Diante dessa discussão, cidades como São Paulo optaram por já usar todos os frascos entregues, mesmo sem garantia. De acordo com a prefeitura, a expectativa é receber mais 215 mil em até 15 dias para a segunda imunização dos profissionais de saúde, idosos e indígenas, respeitando um intervalo de duas a três semanas.

Rio Branco (com apenas 3.600 doses) é outra que segue a mesma lógica, “uma vez que há o indicativo oficial de que novas unidades de vacina devem chegar à cidade na próxima semana”, afirmou em nota a chefe da vigilância epidemiológica municipal, a bióloga Socorro Martins.

Esses locais, porém, correm o risco de receber menos doses para a segunda imunização do que o necessário, já que a previsão da próxima remessa da Coronavac é de apenas 4,8 milhões de unidades, e não 6 milhões como na primeira leva.

Já alguns governos estaduais optaram por “segurar” a metade das vacinas nos seus próprios estoques, ao invés de distribuí-las todas de uma vez para os municípios. Foi o caso de Roraima, Pará, Tocantins, Paraíba, Mato Grosso e Espírito Santo. “A gente precisa ser sincero”, desabafou na quarta (20) o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), afirmando que enquanto o governo federal não fizer uma aquisição de um grande lote dos imunizantes, a vacinação será em pequenas etapas.

A prefeitura havia se organizado para vacinar 169 mil pessoas nesta primeira remessa, mas teve que mudar toda a estratégia em três dias ao saber que só receberia 42 mil doses. “Esse fracionamento é muito ruim porque cria injustiças e prejudica todo o nosso planejamento”, criticou o secretário municipal de Saúde, Leonardo Prates, à Folha.

 

FOLHAPRESS

 

Faça o seu comentário

CASA DO MANTO

POÇO BRANCO: Prefeito Edinho oliveira participa de uma Oficina Técnica de Desenvolvimento Rural e Pesca Sustentável

Publicado em: 22/01/2021

                                             Fotos: William Rocha

 

Prefeito Edinho Oliveira participou na última quinta-feira  (21), na Câmara Municipal de Vereadores de Poço Branco de  uma Oficina Técnica de Desenvolvimento Rural e Pesca Sustentável. Na oportunidade foi apresentado os principais projetos executados pela EMATER, SEDRAF, SAPE-Subsecretaria de Pesca, para o Poder Executivo Local, Sindicato de Trabalhadores Rurais e Agricultura Familiar de Poço Branco, Cooperativa Agropecuária de Poço Branco, Colônia de Pescadores, Movimento de Luta pela Terra (MLT), dirigentes de associações rurais locais. 

A oficina teve como objetivo principal a construção participativa de um Plano de Trabalho (PT) inerente ao desenvolvimento rural e pesca sustentável do município de Poço Branco, como parte integrante do Acordo de Cooperação Técnica (ACT), a ser celebrado entre a EMATER e a Prefeitura Municipal de Poço Branco-RN.

O prefeito Edinho Oliveira, destacou a importância da oficina e declarou perante a todos o seu empenho em tudo que vier para gerar emprego e renda no município, já que como gestor não tem emprego na prefeitura para todos que precisam.

Destacou o potencial da barragem Engenheiro José Batista do Rego Pereira no tocante a pesca e o turismo, e falou que vai fazer da barragem um dos maiores polos turísticos da região do Mato Grande. 

Enfim, agradeceu a participação de todos os presentes a oficina e se mostrou bastante entusiasmado com tudo que ouviu dos técnicos que ali falaram, mostrando o quanto perdemos no governo passado e o quanto podemos avançar na atual gestão.

A oficina também teve a participação da vice-prefeita Nilse Cavalcante, primeira-dama Franciele, chefe de Gabinete Roberto Lucas, coordenador da Agricultura Mano Gás, Renato vaqueiro, João Paulo, Gildenia e representantes de entidades sindicais e associações do município. 

 

Com Informações e Fotos: Blog do Rocha

 

Faça o seu comentário

COMEMORAÇÃO: Dia 21 de janeiro é comemorado o dia da intolerância religiosa

Publicado em: 22/01/2021

Nesta quinta-feira  dia 21 de janeiro é comemorado o dia da intolerância religiosa,que não somente hoje, nesta data tão importante, mas todos os dias possamos estar atentos e alertas, contra toda e qualquer forma de intolerância: religiosa, racial, de gênero,etc. Que o respeito seja sempre a base do convívio social e que todas as religiões e credos comunguem da liberdade.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e dançando                                Foto: cedida via WhatsApp

 

Faça o seu comentário

COR E PISO

VÍDEO: Pesquisa Divulgar aponta escritório Sandra Ligia, 1º lugar no seguimento de contabilidade empresarial em 2020.

Publicado em: 22/01/2021

                                                     Reprodução/YuoTube

 

Faça o seu comentário

Escritório de Contabilidade Sandra Ligia

Ministério desativa aplicativo TrateCov, que indicava tratamentos para covid-19

Publicado em: 21/01/2021

                                            Foto: reprodução

 

O Ministério da Saúde desativou hoje (21) o aplicativo TrateCov, lançado no dia 14 de janeiro como um recurso voltado sobretudo para auxiliar no diagnóstico da doença. Segundo a pasta, “o sistema foi invadido e ativado indevidamente – o que provocou a retirada do ar, que será momentânea”.

Também nesta quinta-feira, após analisar o conteúdo do programa, o Conselho Federal de Medicina (CFM) solicitou a retirada imediata do app. Em nota pública divulgada hoje, o CFM, principal entidade representativa dos médicos do país, reúne uma série de motivos para requerer a desativação do programa.

Em primeiro lugar, segundo o conselho, o aplicativo permite o preenchimento por não médicos. Nas redes sociais foram divulgadas simulações feitas por cidadãos comuns. Em segundo lugar, o CFM considerou que o app “assegura a validação científica a drogas que não contam com esse reconhecimento internacional”.

Ainda conforme o conselho, o aplicativo induz à automedicação, interferindo na autonomia dos médicos. O TrateCovid, acrescenta a entidade, não preserva o sigilo das comunicações e não deixa claro a finalidade do uso dos dados preenchidos pelos médicos.

Em nota, o Ministério da Saúde respondeu que o app foi lançado como “projeto-piloto” e que não estava “funcionando oficialmente”. Apesar disso, há uma semana, o próprio Ministério da Saúde anunciou que o TrateCov daria “autonomia a profissionais habilitados para encaminharem o atendimento de acordo com a individualidade do paciente”. E disse que o aplicativo havia começado a ser usado em Manaus, onde 342 profissionais já estariam habilitados.

Aplicativo

Segundo texto publicado no site do governo, o projeto teve início em Manaus, como uma das ações de suporte ao sistema de saúde da capital amazonense, que enfrenta uma crise sanitária.

“A plataforma traz ao médico cadastrado um ponto a ponto da doença, guiado por rigorosos critérios clínicos, que ajudam a diagnosticar os pacientes com mais rapidez. Depois disso, o TrateCOV sugere algumas opções terapêuticas disponíveis na literatura científica atualizada, sugerindo a prescrição de medicamentos. Assim, o diagnóstico sai mais rápido e o tratamento tem início precocemente, contribuindo na redução de internações e óbitos por Covid-19”, explicou nota oficial do governo federal.

 

Diário do Poder com informações da Agência Brasil

 

Faça o seu comentário

18 MILHÕES DE ACESSOS

Brasil registra 7.580.741 pessoas recuperadas do coronavírus

Publicado em: 21/01/2021

                                                         Foto: reprodução

 

O Brasil registrou nesta quinta-feira (21) mais 16.119 pacientes recuperados do coronavírus, totalizando 7.580.741 pessoas curadas da doença.

O número de pessoas curadas já representa 87,2% do total de casos acumulados.

A quantidade de pessoas curadas no Brasil mais de oito vezes superior ao número de casos ativos (902.480), que são os pacientes em acompanhamento médico.

No mundo, estima-se que pelo menos 70,4 milhões de pessoas diagnosticadas com Covid-19 já se recuperaram, de acordo com o site Wolrdometers.

 

Faça o seu comentário

Drogaria Bom Viver

Consórcio Nordeste pede a Bolsonaro prorrogação do estado de calamidade por mais 180 dias

Publicado em: 21/01/2021

O presidente do Consórcio Nordeste e também membro do Fórum dos Governadores, Wellington Dias (PT), solicitou a prorrogação do estado de calamidade pública no Brasil ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por mais 180 dias. O ofício foi assinado em nome dos dois colegiados.

A justificativa dos gestores estaduais é de que o estado de calamidade pública seja prorrogado pelo fato de não haver previsão da imunização de toda a população, além do aumento do número de casos confirmados, da ocupação de leitos e elevação na taxa de transmissibilidade do novo coronavírus.

“Essa iniciativa asseguraria a continuidade de ações de proteção àqueles que vivem em situação de vulnerabilidade social e que necessitam de auxílios correspondentes”, declararam os governadores no ofício.

O adiamento do estado de calamidade é importante também, segundo o Consórcio Nordeste, para o prolongamento dos auxílios financeiros pagos pelo Governo Federal. A falta deste pagamento pode causar, de acordo com Wellington Dias, um impacto negativo na economia do país e o crescimento do desemprego.

Na prática, com o reconhecimento do estado de calamidade, o governo pode aumentar o gasto público e descumprir a meta fiscal prevista para o ano.

Em março de 2020, o Senado aprovou o projeto de decreto legislativo que reconhece o estado de calamidade pública no país em razão da pandemia de coronavírus. O decreto ficou em vigor até o dia 31 de dezembro de 2020.

Em 18 de dezembro de 2020, 17 governadores enviaram um ofício ao presidente Jair Bolsonaro pedindo a prorrogação do reconhecimento do estado de calamidade pública no país por mais seis meses.

O Consórcio Nordeste também espera que a vacina russa, Sputnik V, seja aprovada para uso emergencial, proporcionando mais uma opção para a imunização no país.

Contudo, a Sputnik V ainda não aparece no quadro de análise da Anvisa. Isso acontece porque o pedido de anuência do estudo ainda está em avaliação.

 

G1

 

Faça o seu comentário

Esporte Center & Casa do Vaqueiro

78% dos brasileiros querem tomar vacina contra coronavírus

Publicado em: 21/01/2021

                                 Foto: Sérgio Lima/Poder360 19.jan.2021

 

Pesquisa PoderData mostra que 78% dos brasileiros pretendem tomar alguma vacina contra a covid-19. A taxa teve variação positiva em relação ao levantamento anterior, quando 75% disseram que tomariam o imunizante. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

A taxa dos que rejeitam a vacinação para prevenir a contaminação pelo coronavírus teve queda de 5 pontos percentuais. Passou de 16% para 11% em 15 dias.

Os que não souberam ou preferiram não responder passaram de 9% para 11%.

Considerando a estratificação do levantamento por sexo, idade, região, escolaridade e renda, quem mais afirma que tomaria alguma vacina contra a covid-19 são:

– homens (79%);

– pessoas de 60 anos ou mais (87%);

– quem tem ensino superior (88%);

– moradores da região Sul (86%);

– os que recebem mais de 10 salários mínimos (90%).

Quem mais rejeita a vacinação para evitar a contaminação pelo coronavírus são:

– pessoas de 16 a 24 anos (22%);

– os que têm só ensino fundamental (13%);

– moradores da região Centro-Oeste (19%);

– sem renda fixa (20%).

         

Pretensão de tomar vacina x Avaliação de Bolsonaro

O PoderData mostra ainda que entre os que avaliam o trabalho do presidente Jair Bolsonaro como “ótimo” ou “bom”, 67% afirmam que tomariam alguma vacina contra a covid-19. A taxa teve variação positiva em relação ao último levantamento. Há 15 dias, era de 65%.

Nesse grupo, os que rejeitam o imunizante oscilou de 24% para 20%.

Bolsonaro minimiza a importância da vacinação para prevenir a contaminação pelo coronavírus. Em 23 de dezembro afirmou ainda que recebeu “a melhor vacina: o vírus”, acrescentando, segundos depois: “Sem efeito colateral”. Em outras oportunidades, também disse que não tomaria a vacina contra covid-19, porque já foi infectado.

Entre os que rejeitam o desempenho de Bolsonaro na Presidência (acham “ruim” ou “péssimo”), 85% afirmam que devem tomar o imunizante. Os que não pretendem são apenas 6%.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Os dados foram coletados de 18 a 20 de janeiro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 544 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

 

Poder 360

 

Faça o seu comentário

JD Lan House

Presidente da Câmara Paulinho Freire recebe apoio de Câmaras do interior para presidir Fecam

Publicado em: 21/01/2021

Presidente da Câmara de Natal, o vereador Paulinho Freire segue como provável eleito para à presidência da Fecam – Federação de Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte.

A chapa encabeçada por Paulinho está sendo montada com representantes de todas as regiões do Estado.

A eleição acontecerá no dia 5 de fevereiro, em Natal.

Nesta quinta-feira Paulinho recebeu apoio de vários presidentes de Câmaras ao apresentar alguns projetos que pretende implementar, caso conquiste mais uma vez o comando da Federação que já presidiu.

“Estamos focados no fortalecimento dos legislativos municipais, não só das cidades polos, como principalmente das cidades médias e pequenas dando o apoio necessário para crescimento de cada Casa”, disse Paulinho.

 

Faça o seu comentário

DRONE DO MONTORIL

Bolsonaro nega sigilo de 100 anos em sua carteira de vacinação e diz que ‘está em dia’

Publicado em: 21/01/2021

                                                              Foto: reprodução/YouTube

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) negou que tenha decretado um sigilo de até 100 anos em sua carteira de vacinação e afirmou que ela está em dia, durante transmissão ao vivo realizada nas redes sociais, na noite de hoje.

“A revista Época publicou que eu decretei no meu cartão de vacina sigilo por 100 anos. Se eu decretei, tem um decreto. Se tem um decreto, está publicado no Diário Oficial da União. Não tem, não existe no Diário Oficial”, justificou Bolsonaro, na live de hoje.

“Por que os caras fazem isso? Para tumultuar, ‘tá vendo, ele é negacionista, ele não toma vacina’. Pessoal, eu estou com a minha cartela de vacina em dia, eu viajo o mundo todo, tem pais que exige certas vacinas e com razão. E vale para o presidente da República também. Mentira em cima de mentira”, acrescentou Bolsonaro.

No dia 12 de janeiro, a Justiça Federal do Distrito Federal deu um prazo de 72 horas para o Palácio do Planalto se manifestar e explicar o motivo de o cartão de vacinação do presidente Jair Bolsonaro possuir sigilo de até 100 anos, caso queira (ou seja, não era obrigatório).

A ação que fez a Justiça dar o prazo para o Planalto foi movida pela deputada federal e presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), que pediu que a medida seja suspensa e que o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) e a AGU (Advocacia-Geral da União) apresentem a decisão que classificou o sigilo.

Segundo a Época, o sigilo foi determinado após um pedido de acesso à carteira de vacinação do presidente feito por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI) pela coluna do jornalista Guilherme Amado, da revista Época. Segundo a própria assessoria da presidência, o decreto foi feito porque os dados “dizem respeito à intimidade, à vida privada, à honra e à imagem” do presidente.

 

UOL

 

Faça o seu comentário

18 MILHÕES DE ACESSOS

45% acham que o governo Bolsonaro atua de maneira correta para oferecer vacinas

Publicado em: 21/01/2021

                               Foto: Sérgio Lima/Poder360 – 16.dez.2020

 

Pesquisa PoderData mostra que 45% da população brasileira acha que o governo do presidente Jair Bolsonaro atuou de maneira correta para oferecer vacinas. Outros 44% dizem que a administração foi negligente.

O levantamento foi realizado de 18 a 20 de janeiro em 544 cidades e com 2.500 entrevistas. As taxas registraram leves variações em 1 mês. Todas as oscilações foram dentro da margem de erro do estudo, de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, exceto a proporção de entrevistados que não souberam ou não quiseram responder, que caiu de 18% para 11%.

A proporção de brasileiros que acham que o Executivo agiu corretamente na distribuição de vacinas é a mesma registrada na avaliação do governo, que tem 45% de aprovação.

A Anvisa aprovou no domingo (17.jan.2021) o uso emergencial, em caráter experimental, da CoronaVac, vacina desenvolvida pela biofarmacêutica chinesa Sinovac e distribuída no Brasil pelo Instituto Butantan, e do imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca.

No mesmo dia, a imunização foi iniciada, com pontapé inicial do governo de São Paulo, comandado por João Doria, adversário político de Jair Bolsonaro. Na 2ª e 3ª feira (18 e 19.jan), lote com quase 6 milhões de doses da CoronaVac foi enviado a todas as unidades da Federação.

A pesquisa foi realizada neste período, em que os Estados estavam começando a vacinar os profissionais de saúde, idosos em asilos e deficientes em instituições de longa permanência. Ficou em campo até a manhã de 4ª feira (20.jan).

O governo tentou nos últimos dias importar 2 milhões de doses da Índia, mas enfrentou problemas na liberação. Um avião já estava preparado para ir ao país, mas a operação teve de ser cancelada de última hora. Nesta 5ª feira (21.jan), autoridades indianas deram o aval, e a carga deve ser enviada na 6ª feira (22.jan).

Destaques demográficos

O estudo destacou, também, os recortes para as respostas à pergunta sobre a percepção dos brasileiros em relação ao trabalho do governo para oferecer vacinas.

Os que têm de 16 a 24 anos (60%), os desempregados ou sem renda fixa (57%) e os moradores da região Norte (63%) são os que mais acham que o Executivo atuou corretamente.

Os que cursaram ensino superior (65%), os moradores da região Centro-Oeste (66%) e os que ganham de 5 a 10 salários mínimos (71%) são, proporcionalmente, os que mais dizem que a administração foi negligente.

       

Trabalho para oferecer vacina x avaliação de Bolsonaro

Os apoiadores do presidente estão alinhados: 85% dizem que o governo atuou de maneira correta para oferecer os imunizantes. Quando são considerados só os que o rejeitam (que o avaliam como “ruim” ou “péssimo“), a taxa cai para 17%.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Foram 2.500 entrevistas em 544 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

 

Poder 360

 

Faça o seu comentário

PROGRAMA PAZ REAL

Jean Paul Prates denuncia Álvaro Dias por incentivo ao uso de Ivermectina

Publicado em: 21/01/2021

                                      Foto: reprodução/AgoraRN

 

O senador do PT, Jean Paul Prates encaminhou representação ao Ministério Público do RN para abrir inquérito contra o prefeito de Natal, Álvaro Dias, por recomendar o uso do medicamento Ivermectina para tratar a Covid-19, o que não teria respaldo científico.

Na denúncia, o senador cita que Álvaro Dias “foi às redes de comunicação aberta apresentar o uso da Ivermectina como meio substitutivo ao uso da vacina para imunização coletiva”.

 

Confira a matéria completano site  Justiça Potiguar.

 

Faça o seu comentário

MULTIBALAS